Federação Nacional dos Sindicatos de Empresas de Recursos Humanos, Trabalho Temporário e Terceirizado

Cintra confirma imposto que lembra a CPMF - Valor Econômico

O secretário especial da Receita, Marcos Cintra, afirmou ao Valor que a reforma tributária em elaboração no Ministério da Economia poderá contemplar a redução de dois a três pontos percentuais da contribuição previdenciária do trabalhador, que hoje varia de 8% a 11% sobre o salário.

A contribuição patronal, por sua vez, deve ser extinta. Pela proposta, essas desonerações seriam compensadas pela criação de um novo imposto sobre pagamentos - uma taxação de 0,8% a 1,2% aplicada em operações bancárias (como a antiga CPMF) e também em qualquer transação econômica.

Por exemplo, a compra de um veículo ou imóvel - inclusive em dinheiro. A ideia, segundo Cintra, é reduzir o custo do trabalho para gerar mais empregos, mas compensando a queda na arrecadação com um tributo de base mais ampla. "O imposto sobre pagamentos será universal, abrangerá a economia informal e terá uma base mais estável de tributação previdenciária", disse o secretário. 

Últimas Notícias