Federação Nacional dos Sindicatos de Empresas de Recursos Humanos, Trabalho Temporário e Terceirizado

  • Home
  • Notícias
  • Últimas Notícias
  • SINDEPREST-AM realizou seminário sobre Terceirização no dia 17 de agosto, em Manaus

SINDEPREST-AM realizou seminário sobre Terceirização no dia 17 de agosto, em Manaus

O SINDEPREST-AM realizou na última sexta-feira, dia 17 de agosto, o 1º Seminário Terceirização de Serviços: caminho para o desenvolvimento, no auditório da FIEAM (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas), em Manaus (AM). Reunidos, representantes da indústria, dos empresários e trabalhadores do setor de Serviços debateram e explicaram os efeitos da lei da Terceirização no mercado de trabalho e na economia do País aos mais de 100 participantes.

A abertura do seminário foi feita por Raynor Aguiar, presidente do Sindeprest-AM e vice-presidente da Fenaserhtt. Segundo ele, 68% da mão de obra do Estado do Amazonas é empregada pelo setor de Serviços. "A nova lei da Terceirização favoreceu bastante o setor, pois não houve retirada de nenhum direito do trabalhador e as empresas puderam contratar mais."

Vander Morales, presidente da Fenaserhtt e do Sindeprestem, elogiou a iniciativa do Sindeprest-AM em reunir representantes da indústria e do setor de Serviços, com os trabalhadores. "A interlocução e alianças com outros setores e elementos da cadeia produtiva contribui para solidificar posicionamentos e ter mais força para praticar ações e reivindicar mudanças. Serviços e indústria, maiores empregadores do país, precisam caminhar juntos."

0CE21FC0 1411 4947 9AC9 ABD52B4CD0AA

Para Nelson Azevedo, 1º vice-presidente da FIEAM, o evento foi positivo e serviu para esclarecer dúvidas a respeito da contratação de terceiros para a execução de serviços especializados. "A Terceirização não é uma carta branca para qualquer tipo de contratação, pois a lei prevê medidas fundamentais de proteção ao trabalhador. A regulamentação serviu para sacramentar um setor que sempre existiu." Azevedo disse ainda que "quanto mais as pessoas entenderem a Terceirização, melhor será para o trabalhador e para o empresário."

Representando os trabalhadores, compuseram a mesa debatedora o presidente do Sindcomprestes, Julio Nascimento, e o presidente do Sindbomam, José Mendes. Ambos contribuíram com informações sobre soluções possíveis para a diminuição dos conflitos e melhoria da relação capital-trabalho.

Morales destacou também a importância da união empresarial como ferramenta eficiente de representatividade. "O empresariado precisa ter consciência do papel importante desempenhado por sindicatos atuantes, que de fato utilizam o agrupamento para produzir e reivindicar políticas específicas para os seus representados", explicou, lembrando ainda a necessidade do enquadramento sindical.

GERAÇÃO DE EMPREGOS

Com uma força de trabalho composta por 159,2 milhões de pessoas, o Brasil enfrenta uma situação dramática. São 13 milhões de desempregados e apenas 32,8 milhões de carteiras assinadas, menor patamar dos últimos tempos. Diante desse cenário, a palestra apresentada por Vander Morales abordou os novos e tradicionais modelos de trabalho, a necessidade de adaptação das empresas e a existência de alternativas para aumento da capacidade de geração de emprego e renda no País.

A Lei 13.429 da Terceirização contribui e está alinhada aos preceitos do futuro do trabalho uma vez que é inclusiva e dá mais liberdade para empresas contratarem e pessoas serem contratadas. "É uma tendência mundial propiciar a aproximação entre capital e trabalho, gerando uma relação mais colaborativa e livre para negociação entre as partes", disse Morales.

O advogado Alberto Dantas apresentou a palestra A nova lei da Terceirização e respondeu dúvidas dos participantes quanto à nova legislação. Ao final do evento, foram sorteados exemplares do livro Terceirização: uma abordagem estratégica, de co-autoria do presidente de Fenaserhtt, Vander Morales. Para Angela Nascimento, diretora administrativa da Valle, o evento foi muito produtivo para sanar qualquer dúvida a respeito da nova lei da Terceirização. "Pudemos entender melhor a questão salarial, o tempo necessário para o profissional ser recontratado ou prestar serviços ao antigo tomador."

Últimas Notícias