Abandonada por Bolsonaro, reforma tributária vira campanha de Tarcísio

computer, summary, chart-767776.jpg

Ex-ministro e pré-candidato ao governo ainda prometeu diminuir alíquotas no estado como forma de atrair investimentos

Por Laísa Dall’Agnol 

Pré-candidato ao governo de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos) tem defendido em sua pré-campanha uma das pautas há tempos enterrada por Jair Bolsonaro — a reforma tributária.

Em discurso na Associação Comercial de São José dos Campos nesta quinta-feira, o ex-ministro da Infraestrutura afirmou que o estado deve encampar o movimento como forma de atrair mais investimentos.

“Já passou da hora de São Paulo liderar o processo de reforma tributária. Porque tem a maior bancada [na Câmara dos Deputados]. Num primeiro momento, o processo prejudicaria o estado, o estado perde arrecadação. Mas ganha num momento posterior, porque quando você equaliza a questão tributária, que você acaba com a guerra fiscal, o estado se sobressai e atrai mais investimento”, afirmou.

Reconhecendo que reformas tão estruturais são mudanças que levam tempo, Tarcísio defendeu que o estado tome medidas que são aplicáveis no curto prazo, como a diminuição do excesso das substituições tributárias e a redução de alíquotas.

O pré-candidato afirmou que a elevação do ICMS — imposto estadual que teve alta per capita de 26% em São Paulo desde 2019 — também afasta negócios e compromete a geração de empregos e que, com isso, a redução de impostos deve ser uma saída a ser tentada.

“É possível diminuir alíquotas. Tem espaço fiscal pra isso? Tem (…) E no final das contas, quando a gente diminui alíquota, não necessariamente a gente perde arrecadação. Porque aquele alívio tributário vai virar investimento, vai virar compra de insumo (…), e isso vai fazer com que a economia se mova mais rápido”, afirmou aos presentes.

https://veja.abril.com.br/coluna/radar/abandonada-por-bolsonaro-reforma-tributaria-vira-campanha-de-tarcisio/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

FEDERAÇÃO NACIONAL DOS SINDICATOS DE EMPRESAS DE RECURSOS HUMANOS, TRABALHO TEMPORÁRIO E TERCEIRIZADO

X