FMI alerta, em relatório, para ‘uma série’ de riscos de baixa para o crescimento global

sign, caution, warning-304093.jpg

Por Gabriel Bueno da Costa

Fundo elenca guerra na Ucrânia, desaceleração econômica na China, inflação persistente e aperto monetário dos bancos centrais como sendo de ‘particular preocupação’

O Fundo Monetário Internacional (FMI) alerta, em seu relatório trimestral Perspectiva Econômica Mundial, publicado nesta terça-feira, 26, que existe “uma série” de riscos de baixa para o crescimento global. Entre aqueles de “particular preocupação”, ele menciona a guerra na Ucrânia e seus efeitos, o quadro de desaceleração econômica na China, a inflação persistente e o aperto monetário dos bancos centrais para conter a trajetória dos preços.

A guerra da Rússia na Ucrânia pode levar mais para cima os preços de energia, diz o FMI. Ele vê ainda “muita incerteza” na oferta de gás russo para a Europa, neste ano e no próximo, e adverte que um corte total nessas entregas se refletiria em mais inflação global. Na Europa, haveria potencialmente racionamento de gás e um forte impacto no Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro.

A inflação, por sua vez, está “teimosamente elevada” e deve retornar aos níveis pré-pandemia no fim de 2024. Vários fatores, porém, fazem com que ela mostre mais força e perdure mais, aponta o Fundo, como a própria guerra na Ucrânia, além dos mercados de trabalho aquecidos.

Outro risco é que o processo para conter a inflação está se mostrando “mais custoso que o esperado”, com riscos de impacto ainda maior, a depender do nível de aperto dos bancos centrais. O FMI vê o risco de que condições financeiras mais restritas possam provocar problemas na dívida em economias emergentes e em desenvolvimento.

Existe igualmente a possibilidade de que o crescimento fraco da China persista. Como risco de baixa para esse país, há a chance de novos lockdowns ante surtos da covid-19, diz o FMI.

O Fundo menciona ainda que a alta nos preços de energia e alimentos provoca mais dificuldades para as pessoas, potencialmente causando dificuldades mais disseminadas, fome e distúrbios.

Como último desses riscos mais importantes no quadro atual, o FMI menciona que a economia global pode se tornar mais fragmentada, no médio prazo. A guerra na Ucrânia pode contribuir para isso, adverte, acrescentando que essa fragmentação reduziria a eficácia da cooperação global para lidar com as mudanças climáticas, aumentando também o risco de que “a atual crise alimentar possa se tornar a norma”.

‘Perspectiva sombria e incerta’

Pierre-Olivier Gourinchas, economista-chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI), a economia global enfrenta perspectivas sombrias e incertas, com o risco de recessão cada vez mais próximo. Embora esse não seja o cenário base do organismo, alertou, há um número grande de riscos negativos nas perspectivas do Fundo, revisadas para baixo.

“A economia global, ainda sofrendo com a pandemia e a invasão da Ucrânia pela Rússia, enfrenta uma perspectiva cada vez mais sombria e incerta. Muitos dos riscos negativos sinalizados em abril começaram a se materializar, com uma inflação acima do esperado, especialmente nos Estados Unidos”, disse Gourinchas, em entrevista coletiva para comentar a nova edição do relatório de Perspectiva Econômica Mundial.

“Os riscos para as perspectivas são predominantemente inclinados para o lado negativo”, alertou o economista-chefe do FMI.

Segundo ele, há três riscos principais. Primeiro, a guerra na Ucrânia pode levar a uma parada repentina dos fluxos de gás europeu da Rússia. Segundo, a inflação pode permanecer teimosamente alta se os mercados de trabalho permanecerem excessivamente apertados. E, por fim, condições financeiras globais mais estreitas podem levar a um aumento no endividamento em mercados emergentes e economias em desenvolvimento.

Em um cenário alternativo plausível, onde alguns desses riscos se materializam, incluindo o fechamento total dos fluxos de gás russo para a Europa, explicou Gourinchas, a inflação aumentará e o crescimento global desacelerará ainda mais, para cerca de 2,6% este ano e 2% no próximo ano. “O crescimento global ficou abaixo dos 2% apenas cinco vezes desde 1970″, destacou.

O economista-chefe do FMI disse que o cenário de recessão global não está na previsão base do Fundo, mas que há uma preocupação com o número de riscos negativos e, por isso, foi feita uma atualização nas estimativas para o crescimento da economia mundial. “E, então, 2% é realmente um número baixo para a economia global. Esse é um sinal de que estamos chegando perto, muito perto de uma recessão global”, alertou.

https://www.estadao.com.br/economia/fmi-alerta-em-relatorio-para-uma-serie-de-riscos-de-baixa-para-o-crescimento-global/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

FEDERAÇÃO NACIONAL DOS SINDICATOS DE EMPRESAS DE RECURSOS HUMANOS, TRABALHO TEMPORÁRIO E TERCEIRIZADO

X