Ministério da Economia eleva previsão de alta do PIB e reduz a de inflação em 2022

stock, trading, monitor-1863880.jpg

Equipe do ministro Paulo Guedes refez suas estimativas oficiais para este e o próximo ano

Por Lu Aiko Otta e Estevão Taiar, Valor — Brasília

O Ministério da Economia revisou de 1,5% para 2% a sua estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2022. A nova projeção foi divulgada nesta quinta-feira pela Secretaria de Política Econômica (SPE) da pasta.

O Valor antecipou na terça-feira que a estimativa seria revisada para cerca de 2%.

O aumento da estimativa se deve aos dados de atividade já divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e alterações no mercado de trabalho e na massa de rendimento real, informa o Ministério em seu Boletim MacroFiscal de julho.

O Ministério da Economia projeta crescimento de 0,7% do PIB no segundo trimestre deste ano, em relação aos três meses anteriores, na série com ajuste sazonal. Para o setor agropecuário, a projeção, sempre na mesma base de comparação, é de crescimento de 2%, enquanto para a indústria e serviços a estimativa é de alta de 0,4%.

A projeção nominal do PIB ficou em R$ 9,7 trilhões, superior em R$ 10 bilhões à estimativa anterior.

“Os riscos externos devem ser monitorados, sobretudo a guerra na Ucrânia e seus impactos nas cadeias globais de valor”, alerta a publicação. “Nesse contexto adverso, houve uma revisão nas expectativas das taxas de crescimento dos países desenvolvidos e emergentes.”

A equipe econômica manteve em 2,5% a previsão de crescimento de 2023 a 2026.

Inflação

O Ministério diminuiu para 7,2% sua projeção para a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), em 2022. A previsão anterior, de maio, era 7,9%.

Para o ano que vem, contudo, a estimativa é 4,5%, contra 3,6% calculados em maio.

A pasta espera também que a inflação medida pelo IPCA convirja para a meta de 3% a partir de 2024.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), também calculado pelo IBGE, deve ficar em 7,41% neste ano, contra a projeção de 8,1% em maio. Para 2023, a projeção é 4,86%, contra 3,7% em maio.

Já o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), da Fundação Getulio Vargas (FGV), deve fechar o ano em 11,51%, contra 11,4% estimados anteriormente. Para o ano que vem, a projeção é 4,55%, contra 4,57% previstos em maio.

Nesta manhã, o ministro da Economia, Paulo Guedes, comentará os números. Na sequência, integrantes da pasta concederão entrevista coletiva para detalhá-los.

https://valor.globo.com/brasil/noticia/2022/07/14/ministerio-da-economia-eleva-previsao-de-alta-do-pib-e-reduz-a-de-inflacao-em-2022.ghtml

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

FEDERAÇÃO NACIONAL DOS SINDICATOS DE EMPRESAS DE RECURSOS HUMANOS, TRABALHO TEMPORÁRIO E TERCEIRIZADO

X